Skip to content

Queijos e vinhos para o inverno

julho 23, 2009

Falar de goiabada na culinária mineira sempre nos remete ao seu par mais famoso: o queijo. Aproveitando o tempo frio do inverno e o fim de semana que chega, que tal preparar um encontro com os amigos servindo queijos e vinhos?

 

Camembleu

Tipos
As inúmeras variedades dos queijos resultam do processo de fabricação, dos fermentos utilizados e da origem do leite, mas a matéria-prima é quase sempre a mesma.

Entre as dezenas de cores e sabores disponíveis, alguns possuem características em comum e, dessa forma, podem ser divididos em “classes”. Temos, assim, os de mofo azul, como o gorgonzola e roquefort; os de mofo branco, camembert e brie; e o de mofo misto camembleu.

Há também queijos de massa cozida suaves (gouda, prato, mussarela de búfala e minas), picantes (mimolete, parmesão, grand formaggio), e fortes (reblochon, saint polan, saint marcelin e appenzeller); e os de massa filiada, como o provolone, a próvola e a mussarela. Outra denominação ampla é a dos queijos de cabra, que são encontrados em diversos estilos e estados de maturação: frescais, curados, boursins, chevrilles, entre outros.

 

Harmonizando
Para ajudar na hora de escolher o vinho e queijo certos, veja algumas dicas para fazer de seu evento um sucesso:

  • Gorgonzola: massa úmida de cor amarelada, matizes decorrentes pelo desenvolvimento do mofo, com teor acentuado de gordura e sabor picante predominante. A harmonização exigente deste fortíssimo queijo merece avaliação paciente e atenciosa, aprovando combinações com os Tannat, Asti e Sauternne.
  • Brie: receita francesa de massa mole, textura uniforme e cremosa. Não é prensado nem cozido, possui odor de mofo com nuanças adocicadas e defumadas. Sabor rico, concentrado e bastante pronunciado, que casa bem com Pinot Noir e Merlot.
  • Gouda: holandês semiduro, cozido e prensado, tem uma casca amarela fina e uma camada de cera de parafina. Os mais jovens têm uma massa firme de tom amarelo pálido, com buracos irregulares. Quando maturado, a casca engrossa e a massa fica escura e dura, especialmente nas bordas. Os maturados costumam ter cheiros apimentados e final doce. Combine com um Shiraz encorpado.
  • Parmesão: oridem italiana, é duro e de consistência granulosa. Daí o nome de ‘Grana’, maneira como é chamado quando produzido na Lombardia sob o nome de ‘Grana Padano’. Tem grand epotencial de aroma e paladar se for envelhecido por tempo suficiente nas condições ideais. Para harmonizá-lo, vinhos como Lambrusco, Chianti Classico Reserva ou Rioja Reserva.
  • Queijos frescos: extremamente leves e pouco maturados. Combinam com vinhos médios secos, brancos, rosés ou tintos.

 

Quer saber mais? Confira na Verdemar em revista #3 uma matéria especial sobre queijos, com diversas dicas para queijos e vinhos e outras formas de harmonização. Deixe também sem comentário, compartilhando suas combinações mais bem sucedidas.

Anúncios
2 Comentários leave one →
  1. julho 24, 2009 13:25

    Gosto muito de queijo brie derretido com geléia de damasco na torrada, é uma delícia e recomendo!

  2. Mônica Santos permalink
    setembro 1, 2010 18:27

    Gostaria de saber como adquirir uma edição anterior: julho de 2009, queijos e vinhos para o inverno

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: